Poesias sem rima e sem nexo

Oiii!

Poe

Desculpa (de novo) pela demora!! Mas eu estou aqui de volta! Para mostrar umas poesias que eu fiz, espero que gostem !! 

Orvalho:

Sinto

o orvalho

manchando meu vestido

com lágrimas

e meu cabelo marejado

Quem eu sou?

Ás vezes

as pessoas perguntam

por que estou aqui

respondo apenas

que vim para amar

Lágrimas de Ouro

Rios

Inundam meus olhos

criando

lágrimas de ouro

que escorrem pelo meu rosto.

Viajante

Todos

se perguntam

o que ocorre

após a morte

eu, penso que as pessoas

fazem viagens

e voltam.

Vida

Minha vida

é doce

como um cupcake de morango

e amarga

como um limão.

 

Espero que tenham gostado! Se sim, em breve terá a parte dois.

 

 

Fazendo meu filme

Oii!
    Apareci novamente! Sentiram minha falta? Não? Ok 😦
Vim escrever a resenha sobre o que achei do coleção “Fazendo Meu Filme” de Paula Pimenta.
   Eu conheci o livro na verdade a muiito tempo, mas não me senti tão atraída pelo livro. Depois de um tempo ia vendo as meninas pegando e comprando e fiquei em dúvida. Resolvi ir até o livro quando restava apenas um livro (o primeiro). Olhei a sinopse, os depoimentos e fiquei interessada. Fui, comprei e quando cheguei em casa a primeira coisa que fui fazer foi ler o livro. Devorei em apenas dois dias. Depois li o dois (que não tinha nem anoitecido ainda e já tinha terminado) e fui em busca do terceiro. Quando terminei, fui atrás do quarto. Mas eu precisava tanto do livro, que cheguei até a sonhar com o que teria acontecido com a vida de Fani. Bem, agora, deixando minha experiencia com a saga, vamos ao sobre o que fala o livro.

Os quatro livros da série “Fazendo meu Filme” contam a história de uma garota tímida e sonhadora chamada Estefânia, ou “Fani”.  Começamos a acompanhar a vida de Fani no ensino médio, em seu colégio novo, quando ainda cheia de incertezas, ela se apaixona pelo professor de Biologia (que é um cafajeste ). Mas isso, definitivamente  não é o que te prende a ler cada página, até terminar o livro. Enquanto vai se passando o tempo, a idade de Fani vai aumentando. Dos 16 aos 22 anos, a personagem descobre e nos mostra de um jeito encantador, o quanto o destino pode nos surpreender positivamente. Mesmo que às vezes, pareça exatamente o contrário.

Fani enfrenta problemas familiares, paixões platônicas, despedidas nem um pouco desejadas, uma inimiga com corpo e rosto de modelo, intercâmbio longe da família, saudades do ex, mãe (muito) neurótica e por último, uma faculdade no exterior.

Tenho certeza que se você tem vontade ou já viveu algumas dessas experiências, vai amar a série logo de cara. A autora teletransporta o leitor para dentro da história. Fazendo com que ele se identifique e também imagine situações do cotidiano de um jeito completamente diferente. Às vezes até voltando e avançando no tempo. Outra característica legal é que antes de cada capítulo, ela coloca um trechinho de um filme.

(CRÉDITOS ANTES QUE VENHAM ME XINGAR DE PLÁGIO: DEPOIS DOS QUINZE – http://www.depoisdosquinze.com/2012/11/01/resenha-fazendo-meu-filme/ )

Beijos ;3 ( e desculpem a falta de criatividade, mas tenho que postar alguma coisa), Alícia.